MULTIVITAMÍNICOS – SERÁ QUE VOCÊ PRECISA DELES?

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Hábitos ruins quanto à alimentação podem levar à obesidade e também à carência de vitaminas e nutrientes. Sabemos que excesso de peso raramente reflete um cardápio saudável e completo em substâncias necessárias para o bom funcionamento do organismo. De olho nesse mercado de pessoas mau nutridas, a indústria do bem-estar tem disponibilizado cada vez mais suplementos para fornecer ao corpo aquilo que a alimentação diária mal planejada e deficitária deixa de entregar. Mas será que todos precisam de suplementação vitamínica? É sobre esse assunto que iremos refletir durante esse artigo, cujo objetivo é apresentar de forma simplificada a ação das principais vitaminas e minerais no corpo humano, bem como algumas fontes naturais desses nutrientes para estabelecer a necessidade deles para o perfeito funcionamento do organismo e elucidar sobre a necessidade ou não de suplementação vitamínica.

HÁBITOS ALIMENTARES DA VIDA MODERNA – UM RISCO PARA A SAÚDE

A vida moderna trouxe consigo uma rotina nem sempre saudável.

A maioria das pessoas acaba envolvida numa roda viva de atividades que mal cabem nas 24h do dia.

Academia, trabalho, escola, igreja, cuidados com a família e amigos disputam a nossa atenção o tempo todo.

Diante de tantos afazeres é comum pensarmos o que podemos fazer para ganhar tempo e muitas vezes as decisões atingem o nosso cardápio.

Por falta de tempo paramos de cozinhar, optando por almoçar em restaurantes self-service, onde há muitas tentações altamente calóricas e pouco nutritivas.

Por não cozinhar é comum que a refeição noturna sejam lanches e comidas industrializadas.

E o café da manhã, que pelas regras da boa alimentação era para ser a principal refeição do dia, muitas vezes é apenas um copo de leite, suco ou chá e até mesmo algo que é devorado no meio do caminho para o trabalho.

Hábitos ruins quanto à alimentação podem levar à obesidade e também à carência de vitaminas e nutrientes.

Sabemos que excesso de peso raramente reflete um cardápio saudável e completo em substâncias necessárias para o bom funcionamento do organismo.

De olho nesse mercado de pessoas mau nutridas, a indústria do bem-estar tem disponibilizado cada vez mais suplementos para fornecer ao corpo aquilo que a alimentação diária mal planejada e deficitária deixa de entregar.

Mas será que todos precisam de suplementação vitamínica?

É sobre esse assunto que iremos refletir durante esse artigo, cujo objetivo é apresentar de forma simplificada a ação das principais vitaminas e minerais no corpo humano, bem como algumas fontes naturais desses nutrientes para estabelecer a necessidade deles para o perfeito funcionamento do organismo e elucidar sobre a necessidade ou não de suplementação vitamínica.

VITAMINAS E SAIS MINERAIS – MATÉRIA PRIMA PARA O BOM FUNCIONAMENTO DO CORPO HUMANO

As vitaminas não podem ser produzidas pelo organismo, que necessita de pequenas quantidades delas para em conjunto com algumas enzimas atuar sobre as atividades celulares e permitir a execução de algumas funções do corpo.

As vitaminas são classificadas em dois grupos:

  • Lipossolúveis: são as vitaminas A, D, E e K. O fígado consegue estoca-las por algumas semanas.
  • Hidrossolúveis: são as vitaminas C e do complexo B. O organismo não consegue armazená-las.

Os sais minerais são produzidos em pequenas quantidades pelo organismo, representando 4% do corpo humano.

Os sais minerais são imprescindíveis para o bom funcionamento do sistema músculo esquelético, atuam sobre a digestão, absorção de nutrientes e desintoxicação do fígado e também colaboram para a manutenção do sistema nervoso central, do qual o cérebro faz parte.

A dose diária necessária de vitaminas e sais minerais para o bom funcionamento geral do organismo varia de pessoa para a pessoa, conforme o gênero, idade e estilo de vida. Algumas particularidades na saúde da pessoa também podem interferir na dosagem a ser ingerida, como por exemplo, um quadro de anemia.

Sendo assim, para ter certeza absoluta de quais vitaminas e sais minerais o corpo necessita, é recomendado um check-up anual onde o médico conseguirá a partir dos resultados de exames específicos verificar se há necessidade de suplementação vitamínica.

FONTES DE VITAMINAS E SUAS FUNÇÕES

As vitaminas são encontradas em pequenas quantidades nos alimentos.

Vejamos alguns alimentos que fornecem vitaminas lipossolúveis, aquelas que o fígado consegue estocar por algumas semanas:

  • Vitamina A: fígado, ovos, leite, leite de soja, melão, cenoura, abóbora, espinafre. Importante para a manutenção da visão, pele e cabelos, além de fortalecer o sistema imunológico. A ausência de vitamina A pode favorecer o desenvolvimento de infecções e causar cegueira noturna.
  • Vitamina D: sardinha, ovos, fígado, salmão. A vitamina D favorece a absorção de cálcio pelo organismo, sendo indispensável para a boa saúde dos ossos e dentes. A ausência de vitamina D pode causar osteoporose, diabetes e aumento da pressão arterial.
  • Vitamina E: amêndoas, nozes, azeitona, ovo. Atua no organismo como antioxidante, fortalecendo o sistema imunológico e sendo benéfica também para a pele. A ausência de vitamina E pode causar anemia, irritabilidade e fragilidade no sistema imunológico.
  • Vitamina K: vegetais de folhas verdes, ovo, fígado, abacate. Atua sobre o fortalecimento dos ossos e favorece a coagulação do sangue. A ausência de vitamina K no organismo pode favorecer quadros hemorrágicos.

A seguir alguns alimentos que fornecem vitaminas hidrossolúveis, aquelas que o organismo não consegue armazenar.

  • Vitamina B1 (tiamina): castanha do Pará, carne de porco, aveia, arroz integral. Atua no bom funcionamento metabólico geral. A ausência de vitamina B1 no organismo pode causar beribéri, doença cujos sintomas são ansiedade, irritabilidade, insônia, perda de apetite, entre outros.
  • Vitamina B2 (riboflavina): queijo minas frescal, leite integral, amêndoas, iogurte natural. Atua na metabolização de alimentos em energia. A ausência de vitamina B2 pode causar fadiga física.
  • Vitamina B3 (niacina): salmão, atum, frango, semente de gergelim. A vitamina B3 auxilia no processo de queima calórica através da metabolização das gorduras. A ausência de vitamina B3 pode causar aftas (feridas na boca e/ou língua), cansaço e vômito.
  • Vitamina B5 (ácido pantotênico): fígado, cogumelo, abacate, frango. Atua sobre a condição geral da pele e dos cabelos e auxilia no controle do colesterol. A ausência de vitamina B5 pode causar insônia, fragilidade no sistema imunológico e formigamento nos pés.
  • Vitamina B6 (piridoxina): banana, batata, camarão, melancia. Fortalece o sistema imunológico. A ausência de vitamina B6 pode causar anemia.
  • Vitamina B7 (biotina): ovo, amêndoa, farelo de trigo, farelo de aveia. Atua no fortalecimento da pele, unha e cabelos. A falta de vitamina B7 pode causar queda de cabelos, unhas quebradiças e irritação na pele.
  • Vitamina B9 (ácido fólico): beterraba, arroz branco, brócolis, lentilha. Atua na produção dos glóbulos vermelhos, que são as células responsáveis pelo transporte de oxigênio e gás carbônico no sangue. A ausência da vitamina B9 pode causar anemia, dor de cabeça e insônia.
  • Vitamina B12 (cobalamina): queijo muçarela, atum, leite, fígado de frango. Atua sobre os sistemas circulatório e nervoso. A ausência de vitamina B12 pode causar fadiga, confusão mental e formigamento nas mãos e nos pés.
  • Vitamina C: goiaba, manga, pimentão amarelo, brócolis. Atua como antioxidante, fortalece o sistema imunológico, facilita a absorção de ferro e atua na síntese do colágeno. A ausência de vitamina C pode causar fragilidade no sistema imunológico e, em casos mais avançados, a doença escorbuto, cujos sintomas são sangramento nas gengivas, frouxidão nos dentes, entre outros.

Para garantir maior absorção da vitamina C alguns cuidados devem ser tomados:

  • As frutas que contém vitamina C não devem ficar muito tempo em contato com o ar, sem a casca
  • Os legumes que contém vitamina C não devem ser cozidos, pois ela se dissolve na água (é uma vitamina hidrossolúvel, lembra?) e não suporta temperaturas muito elevadas.

FONTES DE SAIS MINERAIS E SUAS FUNÇÕES

Os sais minerais são encontrados em alimentos como verduras, frutas, cereais integrais, carnes e laticínios.

Assim como ocorre com as vitaminas, uma alimentação equilibrada fornece ao organismo a quantidade necessária de sais minerais para que eles atuem em algumas funções específicas, como na produção de hormônios, na formação de ossos e dentes, e no equilíbrio da pressão arterial.

A seguir vejamos alguns alimentos onde os sais minerais podem ser encontrados e quais as suas respectivas funções no organismo humano:

  • Cálcio: encontrado no leite, queijos iogurtes, espinafre. É o mineral encontrado em maior quantidade no corpo, estando presente principalmente nos ossos e dentes. Representa papel fundamental na sua construção e manutenção. Também atua sobre a contração muscular e a transmissão de impulsos nervosos. Deficiência de cálcio pode causar fragilidade óssea e dental.
  • Ferro: encontrado nas carnes, fígado, gema de ovo, beterraba. Atua sobre o transporte de oxigênio pelo sangue e sobre a respiração celular. Deficiência de ferro pode causar anemia.
  • Magnésio: encontrado no amendoim, leite, derivados do leite e grãos integrais. Atua sobre a contração e relaxamento muscular, participa da produção de vitamina D e de alguns hormônios e no equilíbrio da pressão arterial. Deficiência de magnésio pode causar câimbras e aumento da pressão arterial.
  • Fósforo: encontrado nas sementes de girassol, frutas secas, sardinhas, leite e derivados. Atua na formação de ossos e dentes. A deficiência desse mineral pode fragiliza-los.
  • Potássio: encontrado no iogurte, abacate, banana, leite. Atua sobre várias atividades do organismo: transmissão de impulsos nervosos, contração muscular, controle da pressão arterial, geração de energia para o corpo. A deficiência de potássio pode causar cansaço, alteração no ritmo cardíaco e desmaios.
  • Sódio: encontrado no sal, queijos, carnes processadas, temperos prontos. Auxilia no controle da pressão sanguínea, regula os níveis de líquidos no corpo, participa da transmissão de impulsos nervosos e da contração muscular. O excesso de sódio pode causar retenção líquida e a sua deficiência pode causar dor de cabeça, náusea e tontura.
  • Iodo: encontrado no sal iodado, atum, ovo e salmão. Participa da formação dos hormônios da tireoide. A carência de iodo pode causar o bócio, doença caracterizada pelo aumento da glândula tireoide.
  • Zinco: encontrado nas carnes de vaca, frango, peixe e fígado. Possui ação antioxidante, favorece a ação da insulina no organismo, prevenindo o diabetes, garante o funcionamento adequado da tireoide e fortalece o sistema imunológico. A deficiência de zinco fragiliza o sistema imunológico, dificulta a cicatrização, aumenta o nível de glicose no sangue e pode favorecer o desenvolvimento da psoríase, uma grave doença de pele.
  • Selênio: encontrado na castanha do Pará, farinha de trigo e gema de ovo. Possui ação antioxidante, previne doenças cardiovasculares, melhora o funcionamento da tireoide e auxilia nos processos de emagrecimento. A deficiência de selênio favorece o desenvolvimento de cardiopatias.
  • Flúor: encontrado no alho, cebola, frutos do mar e fígado bovino. No Brasil o flúor é acrescentado à água desde 1945 através do processo de fluoretação. Também é acrescentado a alguns géis dentais. A principal ação do flúor no corpo humano é inibir a perda de minerais pelos dentes e impedir o desgaste causado pelas bactérias que causam as cáries. A deficiência de flúor favorece o enfraquecimento dos dentes.

O QUE É HIPERVITAMINOSE

A hipervitaminose é o acúmulo de uma ou mais vitaminas no organismo em quantidades superiores às necessárias.

É mais comum um quadro de hipervitaminose ocorrer por suplementação vitamínica indevida do que através da alimentação.

O excesso de algumas vitaminas no organismo pode causar sintomas gerais desconfortáveis como náusea, vômito e diarreia.

Outros sintomas específicos do excesso de vitaminas de acordo com o seu tipo são:

  • Vitamina A: visão turva, sonolência, dor de cabeça.
  • Vitamina D: doenças cardiovasculares, fadiga, alta concentração de cálcio nos ossos, coração e rins.
  • Vitamina E: sangramento excessivo e comprometimento da atividade da tireoide
  • Vitamina K: doenças hepáticas
  • Vitamina B12: reações alérgicas
  • Vitamina B1: vasodilatação periférica, comprometimento respiratório

SUPLEMENTAÇÃO VITAMÍNICA

A princípio, pessoas bem nutridas não precisam de suplementos vitamínicos.

Todas as suas necessidades de vitaminas e minerais seriam supridas através da alimentação.

Além disso, a ingestão de certos micronutrientes em doses diárias acima do ideal pode trazer sérios comprometimentos à saúde.

Existem alguns casos em que há necessidade de suplementação vitamínica:

  • Durante a gestação
  • Bebês e crianças
  • Cirurgia bariátrica
  • Osteoporose
  • Anemia

Porém, esses casos específicos devem ter acompanhamento e prescrição médica.

É comum adultos acima de 50 anos usarem suplementos vitamínicos e minerais, como vitamina B12, vitamina D e cálcio.

Mas é sempre bom informar-se de qual seria a dosagem diária adequada.

O PAPEL DO CONSULTOR DE BEM-ESTAR

Algumas empresas de vendas diretas disponibilizam linhas de nutricosméticos, que são conhecidos como pílulas da beleza.

Entre eles encontram-se os suplementos vitamínicos, alguns direcionados para beleza da pele, outros para saúde de ossos e tendões e outros com uma composição completa de vitaminas e sais minerais.

Esses últimos são o objeto de estudo deste artigo.

Para orientar seus clientes com segurança, o consultor de bem-estar deve ter uma boa ideia das fontes naturais de vitaminas e sais minerais para, ao conversar com seus clientes sobre seus hábitos alimentares, saber se eles são ou não são candidatos à suplementação vitamínica.

Também é importante que os consultores que não têm formação em nutrição busquem parceiros dessa área para indicarem os clientes que tenham dúvida sobre quais vitaminas suplementar e qual a dosagem ideal a ser ingerida na suplementação.

Outra informação que o consultor de bem-estar deve passar para seus clientes é que um bom check-up médico anual sempre será a melhor garantia da identificação de problemas decorrentes da carência de vitaminas e sais minerais.

Em resumo, o consultor de bem-estar deve estar preparado não somente para recomendar seus suplementos para os clientes que sabem o que precisam, mas também ajudar os que não têm certeza a buscarem um caminho seguro para o consumo da suplementação.

Lembre-se: seja consumidor, seja consultor, suas dúvidas e comentários serão muito bem-vindos!

Tome posse do conhecimento que eu compartilhei com você e prospere!

Para saber o que os nutricosméticos podem fazer pela sua saúde e beleza, assista ao vídeo abaixo.

Glorinha no YouTube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Glória Toledo

Glória Toledo

Esteticista, cosmetóloga e massoterapeuta, atuo há 20 anos no ramo atendendo em consultório particular, em Campinas/SP.

Posts recentes

Glorinha no YouTube