PROTEÇÃO SOLAR – CUIDADO DIÁRIO INDISPENSÁVEL

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
O PAPEL DO CONSULTOR DE PELE Uma das perguntas mais frequentes que os consultores de vendas diretas recebem é sobre produtos com proteção solar, tanto no que diz respeito às linhas específicas para exposição ao sol, quanto aos finalizadores faciais com fatores de proteção. Infelizmente, acho que é uma das coisas menos ensinadas a eles pelas empresas do ramo. A questão é que com um perfil de clientes cada vez mais esclarecido e preocupado com a saúde da pele, essas informações são indispensáveis para que o consultor os tranquilize quanto aos produtos que revende, sabendo explicar todos os diferenciais quanto à eficácia da proteção UVA e UVB, tipo de filtro, como aplicar da maneira correta, além de saber indicar o que mais se adequa a peles sensíveis. Por isso caprichei na elaboração desse artigo, trazendo numa linguagem acessível todas as informações para que os nossos leitores possam estar bem-educados quanto ao assunto.

RAIOS ULTRAVIOLETAS: EXPONHA-SE A ELES COM MODERAÇÃO

O Brasil é um país tropical, com temperaturas altas durante o ano todo em muitos estados.

Além disso, tem um litoral belíssimo que é roteiro turístico frequentemente escolhido por brasileiros e estrangeiros.

O calor quase constante colabora para o uso de roupas leves, como saias, shorts, vestidos e também blusas sem mangas, favorecendo a exposição diária de partes do corpo ao sol por tempos prolongados.

É muito comum encontrarmos pessoas com a pele do rosto, braços e pernas bronzeada mesmo sem irem à praia ou piscina, apenas por causa da exposição ao sol que ocorre no dia a dia quando estão ao ar livre indo para o trabalho, mercado, escola, parques, praças, etc.

É claro que a cor morena é bem vista e até mesmo desejada por uma boa parte das pessoas.

Ela remete à saúde e beleza e para alguns é até mesmo uma arma de conquista amorosa, pois também tem um apelo sexual bastante forte.

A questão é que os raios solares não são os melhores amigos da beleza e saúde da pele.

Eles têm sim uma grande importância para saúde do corpo em geral, mas esclarecimentos são necessários para que o astro rei não vire um vilão!

ENTENDA OS TIPOS DE RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA

Uma das funções da camada de ozônio é absorver grande parte dos raios ultravioletas.

Quanto mais íntegra a camada de ozônio for, maior será a absorção e consequentemente melhor protegidos estaremos dos danos causados pela radiação solar.

Por isso a importância da adoção de medidas que visem a preservação da camada de ozônio, que vem sendo fragilizada ano após ano pela emissão de gases poluentes provenientes de processos industriais.

Felizmente desde 1989, a partir da implementação do Protocolo de Montreal, 150 países aderiram à iniciativa de reduzir a emissão de substâncias poluentes que danificam a camada de ozônio, sendo que o Brasil registrou sua adesão ao Protocolo em junho de 1990.

Os raios ultravioletas não são visíveis ao olho humano.

Lâmpadas incandescentes, fluorescentes e halógenas são emissoras de radiação ultravioleta.

No entanto, de acordo com o documento “Consenso Brasileiro de Fotoproteção”, elaborado pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e publicado em 03 de dezembro de 2013, a quantidade de radiação ultravioleta emitida através desses meios é insignificante (página 12 do documento, link abaixo).

De acordo com o mesmo documento, a luz visível emitida por essas lâmpadas, chamada radiação não ultravioleta, também é prejudicial à pele, mas não há estudos suficientes que pontuem esses prejuízos (páginas 15 e 16 do documento, link abaixo). https://issuu.com/sbd.br/docs/consensob.fotoprote____oleigo-web

Portanto, ao estar exposto a luzes visíveis, os protetores solares não teriam grande efeito de proteção, uma vez que os raios que eles filtram são ultravioletas, que não são a causa do prejuízo para a pele gerado pelas lâmpadas que emitem a luz visível.

Os raios ultravioletas são classificados como:

  • UVC: embora sejam considerados os mais danosos, a camada de ozônio consegue filtrá-los 100%, impedindo que eles penetrem na superfície da terra.
  • UVB: atinge a superfície da pele. É responsável pelas queimaduras solares, vermelhidão e favorece o surgimento do câncer de pele. Não é capaz de ultrapassar as nuvens e sua maior incidência é durante o verão.
  • UVA: atinge as camadas mais profundas da pele, sendo responsável pela degradação das fibras colágenas e elásticas, causando rugas e flacidez, além do envelhecimento precoce. Os raios UVA também estimulam a formação de manchas e favorecem o desenvolvimento do câncer de pele. Ao contrário da radiação UVB, a radiação UVA atravessa as nuvens e a sua incidência acontece durante o ano todo. A radiação UVA é a responsável pela tonalidade bronzeada da pele.

Mas nem toda ação dos raios solares é negativa.

A radiação UV na dose certa gera grandes benefícios para a saúde.

SEM SOL NÃO HÁ VIDA SAUDÁVEL

Com toda a propaganda sobre o efeito prejudicial dos raios solares para a pele, corre o risco de as pessoas não se exporem a ele de maneira alguma ou ficarem cobertas por filtros solares de alta proteção em todo o corpo, todo o tempo.

Isso pode ser um problema para a saúde física e mental do ser humano.

Quando a exposição ao sol ocorre por períodos curtos de tempo o organismo humano tem ganhos relevantes que devem ser observados.

Os raios UV têm a capacidade de:

  • Estimular a produção de vitamina D3 no organismo, que favorece a absorção do cálcio, um mineral importante para a formação e saúde dos ossos e dentes
  • Estimular a mobilidade das células T que são as responsáveis por chegarem ao local onde os agentes agressores, patógenos, estão localizados e ali criarem uma resposta imunológica. Assim, quanto mais rápido as células T se deslocarem, melhor será a resposta de defesa do organismo
  • Regular de forma indireta a pressão arterial e o diabetes tipo 2, através da síntese da vitamina D que comprovadamente atua de forma benéfica sobre essas duas patologias
  • Regular de forma direta a pressão arterial transferindo pequenas quantidades de óxido nítrico da pele para a circulação, atuando sobre o calibre dos vasos sanguíneos e baixando a pressão arterial
  • Diminuir os sintomas da depressão a partir da produção de serotonina, que é considerado o hormônio do bom humor

Tendo em vista a importância dos raios UV para a saúde geral do organismo não é prudente evitar o tempo todo expor-se ao sol ou estar totalmente coberto por protetor solar ao fazer isso.

Caminhadas diárias de 10 a 15 minutos sem proteção nos braços, por exemplo, são suficientes para a pele absorver os raios UV e sintetizar as substâncias citadas acima, gerando todos os benefícios relatados.

Há um consenso entre os dermatologistas de que o melhor horário para se expor ao sol é antes das 10 horas e depois das 16 horas.

Isso porque nesses períodos há menor incidência da radiação UVB, responsável por causar queimaduras e predispor ao câncer de pele.

TIPOS DE PROTETORES SOLARES

De acordo com a maneira como protegem a pele dos raios UV, os protetores solares são classificados como:

  • Físicos (ou inorgânicos): possuem em sua composição ativos minerais como dióxido de titânio e óxido de zinco que ficam depositados sobre a pele, sem serem absorvidos. Dessa maneira quando os raios solares incidem sobre a pele, são imediatamente refletidos. Esse tipo de filtro tem ação protetora imediata, não é muito fácil de ser espalhado sobre a pele e costuma deixar a região onde é aplicado levemente esbranquiçada. Por não penetrar na pele, é a melhor opção para pessoas de peles sensíveis, crianças e gestantes.
  • Químicos (ou orgânicos): é o tipo mais encontrado no mercado. Possuem em sua composição ativos químicos como Para-amenobenzóico (conhecido como PABA) e salicilatos, entre vários outros. Penetram nas camadas mais superficiais da pele e quando a radiação UV penetra nela, reagem com ela transformando-a em uma radiação de baixa energia, criando assim o efeito protetor desejado. Esse tipo de filtro demora de 15 a 20 minutos para conferir o efeito protetor à pele, tem boa espalhabilidade e após aplicado não deixa vestígios sobre ela. Por penetrarem na pele, podem desencadear reações em pessoas com histórico de processos alérgicos.

Há formulações no mercado exclusivas com filtros químicos, exclusivas com filtros físicos e que também têm os dois tipos de filtros em sua composição.

COMO APLICAR O PROTETOR SOLAR DE MANEIRA EFICAZ

O protetor solar deve ser aplicado com uma antecedência mínima de 15 minutos antes da exposição ao sol, principalmente se for do tipo químico.

A quantidade a ser aplicada é quase sempre uma grande dúvida.

Muitas pessoas aplicam o protetor solar sobre o seu hidratante favorito e para não ficar com a pele oleosa acabam por economizar na dose, aplicando apenas um pouco do produto.

Para não errar na quantidade, os profissionais da beleza ensinam para seus clientes a “regra da colher de chá”.

Veja a seguir como usar essa regra que garante a eficácia do seu protetor solar:

  • Rosto, cabeça, pescoço, braço e antebraço direitos, braço e antebraço esquerdos: aplicar o equivalente a 1 colher de chá de protetor em cada uma dessas regiões.
  • Coxa e perna direitas, coxa e perna esquerdas: aplicar o equivalente a duas colheres de chá em cada região.

Exemplo 1) Para proteger adequadamente o braço e antebraço direitos espalhe sobre eles 1 colher de chá de protetor solar.

Exemplo 2) Para proteger adequadamente a coxa e perna direitas espalhe sobre elas 2 colheres de chá de protetor solar.

Além de acertar na quantidade, para garantir a proteção solar adequada é recomendada a reaplicação do protetor a cada 2 ou 3 horas.

REGULAMENTAÇÃO DOS FILTROS SOLARES

Todo protetor solar deve ser registrado na ANVISA (Agência de Vigilância Sanitária) como cosmético.

Sua formulação deve conter filtros UV aprovados e listados na Resolução RDC 47/2006, encontrada no site da ANVISA.

Os fabricantes de protetores devem apresentar à ANVISA estudos que comprovem a segurança e eficácia dos seus produtos para que eles obtenham o registro junto à Agência.

A Resolução RDC 30/2012 da ANVISA classifica os protetores solares de acordo com o Fator de Proteção Solar (FPS) como:

  • Baixa proteção (FPS 6 a 14,9): devem ser aplicados em peles pouco sensíveis à queimadura solar.
  • Média proteção (FPS 15 – 29,9): devem ser aplicados em peles moderadamente sensíveis à queimadura solar.
  • Alta proteção (FPS 30 – 50): devem ser aplicados em peles muito sensíveis à queimadura solar
  • Muito alta proteção (FPS maior que 50 e menor que 100): devem ser aplicados em peles extremamente sensíveis à queimadura solar

Caso o fabricante do protetor solar deseje que ele seja registrado com FP-UVA, também conhecido como PPD, siglas que correspondem à proteção contra os raios UVA, ele precisa apresentar laudos de comprovação de proteção equivalente a no mínimo 1/3 do FPS do produto.

Exemplo: um protetor solar de FPS 30 deve ter no mínimo FP-UVA 10.

Essa determinação também consta na Resolução RDC 30/2012 da ANVISA.

NUTRICOSMÉTICOS SOLARES

Os nutricosméticos, também chamados pílulas da beleza, são registrados na ANVISA como alimentos e são compostos em sua maioria por vitaminas e minerais.

Massivamente chamados de “fotoprotetores orais”, os nutricosméticos que prometem combater o efeito nocivo dos raios UV são cada vez mais consumidos pela população brasileira.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia não considera a expressão “fotoproteção oral” adequada uma vez que o mecanismo de ação das substâncias presentes nos compostos orais é absolutamente diferente do mecanismo de ação dos ativos presentes nos fotoprotetores tópicos.

Os ativos dos nutricosméticos solares atuam em nível celular ou molecular e tem por objetivo reduzir os danos gerados pela radiação UV após sua incidência sobre a pele.

Os principais ativos usados na formulação dos nutricosméticos solares são:

  • Vitaminas C e E
  • Polifenóis
  • Ômegas 3 e 6
  • Extrato de Polypodium Leucotomos

Embora a ação celular ou molecular desses ativos seja benéfica para o organismo como antioxidante, eles não impedem a penetração da radiação UV na pele.

Portanto não substituem a ação dos fotoprotetores tópicos.

Porém, o uso em conjunto dos fotoprotetores tópicos e nutricosméticos solares trazem grandes benefícios para a pele no que diz respeito à ação dos raios UV sobre ela.

O PAPEL DO CONSULTOR DE PELE

Uma das perguntas mais frequentes que os consultores de vendas diretas recebem é sobre produtos com proteção solar, tanto no que diz respeito às linhas específicas para exposição ao sol, quanto aos finalizadores faciais com fatores de proteção.

Infelizmente, acho que é uma das coisas menos ensinadas a eles pelas empresas do ramo.

A questão é que com um perfil de clientes cada vez mais esclarecido e preocupado com a saúde da pele, essas informações são indispensáveis para que o consultor os tranquilize quanto aos produtos que revende, sabendo explicar todos os diferenciais quanto à eficácia da proteção UVA e UVB, tipo de filtro, como aplicar da maneira correta, além de saber indicar o que mais se adequa a peles sensíveis.

Por isso caprichei na elaboração desse artigo, trazendo numa linguagem acessível todas as informações para que os nossos leitores possam estar bem-educados quanto ao assunto.

Lembre-se: seja consumidor, seja consultor, suas dúvidas e comentários serão muito bem-vindos!

Tome posse do conhecimento que eu compartilhei com você e prospere!

Para saber como escolher o protetor solar para o dia a dia, assista ao vídeo abaixo.

Glorinha no YouTube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Glória Toledo

Glória Toledo

Esteticista, cosmetóloga e massoterapeuta, atuo há 20 anos no ramo atendendo em consultório particular, em Campinas/SP.

Posts recentes

Glorinha no YouTube