fbpx

CLAREAMENTO DE MANCHAS – UM ETERNO DESAFIO

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
O PAPEL DO CONSULTOR DE PELE Tendo em vista toda a complexidade que envolve o processo de formação das manchas, bem como as limitações dos resultados dos ativos cosméticos e tratamentos por todos os motivos detalhadamente expostos neste artigo, o papel do consultor de pele é fundamental para satisfação final do seu cliente. Ao saber explicar para o cliente que deseja clarear as manchas as variáveis que as tornam mais ou menos responsivas aos cosméticos indicados de acordo com avaliação prévia, é possível garantir a satisfação no pós-vendas através de dois fatores fundamentais: 1) O cliente bem informado entenderá as limitações dos resultados e ajustará a sua expectativa quanto ao clareamento efetivo, evitando frustrações posteriores. 2) Ao entender a complexidade do processo de formação das manchas o cliente aceitará que essa é uma disfunção estética que necessita ser prevenida e tratada de forma contínua e essa conscientização em longo prazo trará resultados incríveis em termo de clareamento das manchas e qualidade da pele como um todo, uma vez que a maioria dos produtos clareadores também possui ação anti-idade. Assim, mais uma vez, o consultor de pele com um conhecimento diferenciado provará seu valor, tornando-se indispensável para seus clientes e ganhando muitas novas indicações a partir de uma consultoria profissional, objetiva e eficaz.

MANCHA – INIMIGA NÚMERO UM DA BOA APARÊNCIA FACIAL

Mesmo uma pele jovem, se tiver uma grande quantidade de manchas escuras, será percebida como uma pele envelhecida.

Esse desconforto estético leva milhares de pessoas a procurar tratamentos clareadores, seja através do uso de cosméticos para esse fim, seja através de procedimentos com profissionais da beleza.

Como esteticista percebo ao atender clientes com esse perfil que as suas expectativas não condizem com a realidade dos resultados que podem ser esperados.

É praticamente impossível fazer uma mancha desaparecer por completo.

A maioria das pessoas não sabe disso e ficam frustradas quando percebem o retorno das manchas alguns meses após o fim do tratamento.

Por isso acho importante o pleno entendimento dessa disfunção pigmentar para que expectativas sejam alinhadas, garantindo a satisfação do cliente.

COMO SE FORMAM AS MANCHAS HIPERCRÔMICAS (ESCURAS)

As manchas hipercrômicas se formam por uma hiperatividade dos melanócitos, que são as células que produzem a melanina, pigmento que dá cor à pele, cabelos e olhos e que atua como um filtro solar natural sobre a pele, protegendo-a da ação dos raios ultravioletas.

Quanto mais morena a pele, mais resistente à ação dos raios solares ela é.

Basta observar o que ocorre às peles muito claras quando expostas ao sol sem proteção: em cerca de 10 minutos estarão vermelhas.

Já com as peles negras, no mesmo exemplo, nada ocorrerá.

Ainda assim, todos os tipos de pele, independente de sua cor, devem ser protegidas com filtros solares quando expostas ao sol, porque a radiação causa danos irreparáveis às células da pele, prejudicando tanto a sua beleza, quanto a sua saúde.

Nos locais em que essa hiperatividade dos melanócitos acontece, ocorre um depósito excessivo de melanina, escurecendo a região.

Alguns fatores colaboram para o surgimento das manchas:

  • Predisposição genética, que pode favorecer um desequilíbrio da atividade do melanócito
  • Exposição solar excessiva e/ou sem a devida proteção
  • Processos inflamatórios como acne, picadas de insetos, queimaduras e peelings químicos
  • Alterações hormonais decorrentes da gestação
  • Alguns medicamentos como anticoncepcionais
  • Doenças do fígado

Os melanócitos estão localizados na última camada da epiderme, chamada camada basal, e algumas vezes na derme, segunda camada da pele.

A melanina produzida por eles é transferida para os queratinócitos, que são as células da epiderme.

O ciclo de vida dos queratinócitos varia de 28 dias, em peles jovens, a 40 dias, em peles maduras.

Enquanto os queratinócitos deslocam-se da sua origem para a superfície da epiderme, são pigmentados e chegam à superfície escurecidos, ali morrendo, gerando conglomerados de células mortas hiperpigmentadas.

Além das células mortas hiperpigmentadas, o acúmulo de melanina pode centralizar-se na epiderme e/ou na derme.

A profundidade do depósito de melanina também é determinante para a expectativa de resultado dos tratamentos clareadores.

CLASSIFICAÇÃO DAS MANCHAS QUANTO À PROFUNDIDADE

Epidérmicas

As manchas epidérmicas estão localizadas na epiderme, camada superior da pele, respondendo melhor aos recursos clareadores.

Costumam surgir logo após exposição ao sol e se já foram tratadas com cosméticos clareadores, tiveram bom resultado.

Dérmicas

As manchas dérmicas localizam-se na derme, segunda camada da pele, e sua maior profundidade limita os resultados de cosméticos e tratamentos profissionais.

Costumam surgir após os 40 anos, mesmo que a pessoa esteja há muito tempo sem se expor ao sol. Isso ocorre porque sua formação foi profunda e ela levou um tempo, às vezes anos, para tornar-se visível a olho nu.

Se já foram tratadas anteriormente com dermocosméticos, houve pouco ou nenhum resultado.

Não é raro encontrarmos manchas do tipo misto, tendo parte do pigmento depositado na epiderme e parte na derme.

O diagnóstico e mapeamento exato da profundidade das manchas pode ser feito através da Lâmpada de Wood, aparelho presente em muitos consultórios estéticos e dermatológicos.

A olho nu não é possível diagnosticar com certeza a profundidade das manchas.

ESTRUTURA SIMPLIFICADA DOS MELANÓCITOS

Dentro dos melanócitos destacamos as estruturas abaixo:

  • Melanossomos: organelas localizadas dentro dos melanócitos, onde a melanina é produzida
  • Dendritos: projeções celulares dos melanócitos através dos quais os melanossomos carregados de melanina são transportados para dentro dos queratinócitos

CLASSIFICAÇÃO DA MELANINA

Os melanócitos produzem dois tipos de melanina, de acordo com a predisposição genética do indivíduo:

  • Eumelanina: pigmento mais escuro, variando da cor marrom à preta
  • Feumelanina: pigmento mais claro, variando da cor amarela à vermelha

FATORES QUE DESECADEIAM AS MANCHAS

Existem mais de 15 fatores responsáveis pelo desencadeamento das manchas, como por exemplo:

  • Atividade da tirosinase, enzima que dá início ao processo de formação da melanina
  • Atividade da enzima TPR2, responsável pela produção da melanina preta
  • Atividade da MITF, proteína chave do processo de formação da melanina, que é estimulada pelos raios solares
  • Produção do hormônio Alpha-MSH, que é um estimulante da produção de melanina
  • Atividade da proteína Stem Cell Factor, que atua diretamente na proliferação e migração dos melanossomos
  • Atividade do peptídeo Endotelina-1, responsável pela proliferação e migração dos melanócitos e pela formação dos seus dendritos
  • Atividade da proteína GM-CSF liberada pelos queratinócitos gerando reações químicas que aumentam a fabricação da melanina e de novos dendritos
  • Atividade da glicoproteína Pmel-17, conhecida como proteína pré melanossomo, atua na maturação da melanina dentro dessa estrutura

Esses são apenas alguns exemplos de reações químicas que ocorrem no organismo atuando no surgimento de novas manchas e/ou no escurecimento das manchas já existentes.

Existem ativos cosméticos que tratam cada um desses agentes, porém há duas grandes dificuldades para a obtenção de resultados eficazes:

  1. Identificar exatamente quais agentes estão presentes no processo de formação da mancha que será tratada
  2. Colocar todos os ativos num único produto

Com relação à formulação dos dermocosméticos clareadores a maior dificuldade está nos produtos industrializados.

As fórmulas manipuladas são capazes de agregar maior número de ativos, mas exigem prescrição médica ou farmacológica.

TIPOS DE HIPERCROMIAS

Transtornos na produção de melanina levam ao surgimento de manchas hipercrômicas com tonalidades diferentes.

Vejamos a seguir os tipos de manchas hipercrômicas que podem ser identificados:

  • Melasmas: manchas com tonalidade marrom, em geral localizadas na testa, têmporas e bochechas. Costumam surgir simetricamente em ambos os lados do rosto. É mais comum em mulheres e pessoas de peles com tom mais escuro. Costuma ser associado a fatores hormonais, predisposição genética e exposição excessiva ao sol sem proteção adequada. A melhor maneira de prevenção contra os melasmas é proteção solar diária desde a infância. Os melasmas superficiais responderão bem aos dermocosméticos clareadores, mas os melasmas profundos deverão ser tratados com fototerapia, luz pulsada e laser. Quando o melasma ocorre em gestantes chama-se cloasma gravídico. Nesses casos um dermatologista deve ser consultado para indicar um tratamento tópico adequado ao período da gestação.
  • Hipercromias pós-inflamatórias: são manchas que surgem após a ocorrência de um processo inflamatório, como acne, picadas de inseto, exposição ao sol sem proteção UVA/UVB de peles tratadas com ácido, processos alérgicos, cicatrizes e pelos encravados. Peelings químicos em alguns casos também podem causar processos inflamatórios severos que favorecem o surgimento de manchas. Por isso nesses casos é indispensável que o procedimento seja feito com uma esteticista ou dermatologista para que a condição da pele seja bem avaliada e o ácido adequado bem como sua concentração seja prescrito com base nesse diagnóstico. As hipercromias pós-inflamatórias são mais comuns em pessoas de pele morena e negra.
  • Efélides ou sardas: mais comum em peles claras (loiras, ruivas e morenas claras). Em geral surgem na infância e localizam-se no rosto e em outras áreas comumente expostas ao sol, como colo, ombros e braços. São manchas pequenas, com diâmetro menor que meio centímetro. Não respondem bem a ativos cosméticos, tendo melhor resultado em tratamentos profissionais como luz intensa pulsada e laser.
  • Melanose solar ou lentigo solar: também conhecidas como “manchas senis”, estão presentes em 90% dos indivíduos com mais de 60 anos. São decorrentes principalmente da exposição prolongada ao sol no decorrer dos anos. Geralmente localizam-se nas mãos e rosto. Sua coloração varia de marrom clara a preta e seu diâmetro pode ser de 1mm até 5cm. Lentigos com mais de 6cm devem ser avaliados por um dermatologista para descartar a possibilidade de um processo cancerígeno. Por se tratar de peles de idosos, os tratamentos para clareamento devem ser acompanhados por profissional esteticista ou dermatologista de forma a garantir a integridade e proteção da pele. Os protocolos associam dermocosméticos, luz intensa pulsada, laser e dermoabrasão.
  • Melanoderma residual: manchas superficiais de cor marrom causadas pela exposição da pele ao sol após aplicação de substâncias fotossensibilizantes, como perfumes, frutas cítricas e seiva de algumas plantas. Esse tipo de mancha é de difícil clareamento com dermocosméticos, devendo ser avaliada e tratada por um dermatologista.  

ATIVOS CLAREADORES – A COMPLEXIDADE DAS FORMULAÇÕES EFICAZES

Acredito que tenha ficado bastante claro no decorrer deste artigo como o processo de formação das manchas é complexo e envolve muitas variáveis.

Clarear manchas é um grande desafio, mas existem muitos ativos cosméticos eficientes em tratar seus vários aspectos.

Como eu disse anteriormente, a grande dificuldade é colocar vários deles um uma única formulação.

Por isso é muito comum encontrar em diversas marcas industrializadas ativos antioxidantes para uso diurno, sempre associados ao uso de filtro solar com proteção UVB/UVA em seguida, e inibidores de tirosinase e esfoliantes químicos para uso noturno.

Essa parceria funciona bem pelos aspectos explicados a seguir:

  • Antioxidantes: combatem a ação dos radicais livres que promovem o envelhecimento celular precoce, inibem o escurecimento das manchas já formadas, evitam o surgimento de novas manchas e potencializam a ação protetora dos filtros solares. Como exemplo temos a vitamina C em concentrações superiores a 2% e a vitamina E.
  • Inibidores de tirosinase: levando em conta que essa enzima é a responsável pelo início da cascata de formação da melanina, inibir sua atividade interrompe a formação das manchas em sua origem. Um dos inibidores de tirosinase mais usados na indústria cosmética é o ácido kójico.
  • Esfoliantes químicos: atuam diretamente no clareamento da pele através da remoção gradativa das células mortas hiperpigmentadas depositadas na superfície da pele. Um esfoliante químico muito usado para esse fim é o ácido glicólico, que também possui a capacidade de dispersar a melanina em sua origem, evitando o acúmulo do pigmento nos queratinócitos.

Vejamos outros ativos clareadores muito utilizados. Alguns deles só serão encontrados em formulações prescritas por dermatologistas e farmacêuticos.

Ativos encontrados em cosméticos industrializados e fármacos não manipulados:

  • Niacinamida (vitamina B3): inibe a ação da glicoproteína Pmel-17, que estimula a maturação da melanina dentro dos melanossomos. Também inibe a transferência da melanina para as camadas mais externas da pele.
  • Alfa Arbutin: inibidor da tirosinase e do PAR-2, receptor da melanina nos queratinócitos.
  • Resveratrol: inibe a ação do alpha-MSH (estimula a produção de melanina) e do Stem Cell Factor (atua na proliferação e migração dos melanossomos)
  • Ácido Azelaico: excelente clareador de manchas pós-inflamatórias, como aquelas causadas pela acne ou por picadas de insetos.
  • Ácido Retinóico: excelente esfoliante químico, remove células mortas hiperpigmentadas.
  • Biowhite: inibe a atividade da enzima tirosinase.
  • Skin Whitening Complex: promove a remoção das células mortas hiperpigmentadas, além de degradar a melanina, inibindo a sua concentração nos queratinócitos, e inibir a atividade da tirosinase. Esse complexo de ativos possui ácido fítico em sua composição, que também é um inibidor de tirosinase.

Ativos encontrados em fórmulas manipuladas

  • Synovea: estimula a produção da feomelanina, a melanina de cor mais clara.
  • Albatin: inibe a ação da enzima TPR-2, responsável pela produção da eumelanina, melanina de cor mais escura.
  • Peptídeo TGP-2: inibe a ação do MITF (estimula a produção de melanina a partir da ação dos raios solares) e da TPR-2 (responsável pela produção de melanina escura)
  • Sepiwhite MSH: inibe a formação do MITF (estimula a produção de melanina a partir da ação dos raios solares)
  • Belides: inibe a ação da Endotelina-1 (responsável pela proliferação e migração dos melanócitos e pelo desenvolvimento dos seus dendritos)

Considerações sobre a Hidroquinona

A Hidroquinona é um ativo clareador amplamente utilizado em fórmulas prescritas por dermatologistas, geralmente associado ao ácido retinóico.

Desde 2007 a utilização da Hidroquinona em dermocosméticos industrializados é proibida pela ANVISA.

Assim ela é encontrada apenas em fármacos e em fórmulas manipuladas, ambos devem ser prescritos por dermatologistas, e a concentração máxima permitida é de até 2%.

Isso porque alguns estudos apontam que a Hidroquinona tem ação citotóxica, ou seja, seu uso prolongado poderia causar a morte dos melanócitos.

Dessa maneira não haveria mais produção de melanina no local, surgindo pequenas manchas brancas, esteticamente tão desconfortáveis quanto a manchas escuras.

Substitutos seguros da Hidroquinona para clareamento de manchas são:

  • Ácido Azeláico
  • Ácido Retinóico
  • Ácido Glicólico
  • Ácido Glicirrízico
  • Ácido Kójico
  • Ácido Fítico

Alguns dermatologistas ainda recomendam o uso de fórmulas com Hidroquinona, mas limitam o uso do produto em 90 dias consecutivos, prazo esse seguro para evitar os efeitos citotóxicos do ativo.

Porém, com todos os ativos seguros para serem usados atualmente em substituição à Hidroquinona, é apenas uma questão de tempo para que ela seja eliminada da rotina home care para clareamento de manchas.

O PAPEL DO CONSULTOR DE PELE

Tendo em vista toda a complexidade que envolve o processo de formação das manchas, bem como as limitações dos resultados dos ativos cosméticos e tratamentos por todos os motivos detalhadamente expostos neste artigo, o papel do consultor de pele é fundamental para satisfação final do seu cliente.

Ao saber explicar para o cliente que deseja clarear as manchas as variáveis que as tornam mais ou menos responsivas aos cosméticos indicados de acordo com avaliação prévia, é possível garantir a satisfação no pós-vendas através de dois fatores fundamentais:

  1. O cliente bem informado entenderá as limitações dos resultados e ajustará a sua expectativa quanto ao clareamento efetivo, evitando frustrações posteriores.
  2. Ao entender a complexidade do processo de formação das manchas o cliente aceitará que essa é uma disfunção estética que necessita ser prevenida e tratada de forma contínua e essa conscientização em longo prazo trará resultados incríveis em termo de clareamento das manchas e qualidade da pele como um todo, uma vez que a maioria dos produtos clareadores também possui ação anti-idade.

Assim, mais uma vez, o consultor de pele com um conhecimento diferenciado provará seu valor, tornando-se indispensável para seus clientes e ganhando muitas novas indicações a partir de uma consultoria profissional, objetiva e eficaz.

Lembre-se: seja consumidor, seja consultor, suas dúvidas e comentários serão muito bem-vindos!

Tome posse do conhecimento que eu compartilhei com você e prospere!

No vídeo abaixo você encontrará mais informações sobre clareamento de manchas.

Comentários

8 respostas

    1. Darilena estou muito feliz por você ter gostado, isso mostra que você faz parte dos 5% dos consultores que trabalham com vendas diretas que querem se profissionalizar acima da média.
      Nossos artigos são conteúdo sólido, só gosta mesmo quem enxerga essa profissão de maneira extremamente profissional.
      Parabéns!

  1. ola gloria estou sempre buscando seus videos para conhecimento dos produtos…irei ministrar treinamento sobre melanina.. gostaria se possível que me disponibilizasse esse material em slid. grata. sera dia 21/12/19 na franquia de Porto velho- Ro

    1. Oi Edilene!
      Eu mantenho um programa de desenvolvimento de treinadores chamado “Parcerias de Sucesso”.
      Para saber como fazer parte dele e quais as condições para envio do material assista o vídeo (#73) do canal http://www.youtube.com/c/gloriatoledo.
      Mas tenha em mente que não se trata apenas do envio de material.
      O consultor precisa estar disposto a passar por uma mentoria porque preciso ter a certeza de que meu material será bem representado.
      No momento estou em férias.
      Novas solicitações de material serão recebidas a partir de 15/jan.
      Caso após assistir ao vídeo vc tenha interesse em fazer parte do time, mande as informações conforme orientado no vídeo a partir de 15/jan.

  2. Boa noite
    Glória parabéns minha linda acompanho vc a um tempo. Minha dúvida. Porque a maioria dos homens reclamam do nosso creme para rejuvenescer masculino da Hinode. Ele deixa a pele branca….

Deixe uma resposta para Darilena Lima Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Glória Toledo

Glória Toledo

Esteticista, cosmetóloga e massoterapeuta, atuo há 20 anos no ramo atendendo em consultório particular, em Campinas/SP.

Posts recentes

Glorinha no YouTube