fbpx

HIDRATAÇÃO, CONTROLE, CLAREAMENTO, REVERSÃO, PREVENÇÃO: APRENDA O QUE CADA UM DESSES PASSOS REPRESENTA PARA A SUA PELE

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
O PAPEL DO CONSULTOR DE PELE O consultor de pele deve estar apto a além de identificar as queixas principais do seu cliente, dominar as informações técnicas dos produtos que representa. Vender dermocosméticos por catálogo sem uma avaliação minuciosa da condição da pele é como jogar na loteria: pode acertar ou não. O consultor de pele também precisa saber esclarecer sobre protocolos, preparo da pele e finalização para educar seu cliente em uma rotina diária que resultará numa pele melhor cuidada a longo prazo, minimizando o efeito do tempo sobre ela.

FINALIZAÇÃO – A SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS DA SUA PELE

Para facilitar o entendimento do que vou explicar através desse artigo vamos estabelecer três conceitos referentes aos cuidados diários com a pele:

  • Protocolo: é a sequência de cuidados diários com a pele que deve ser feita pela manhã e à noite. O recomendado é higienizar, tonificar, tratar de acordo com as necessidades específicas da pele e proteger.
  • Preparação: trata-se dos passos de higienizar e tonificar a pele.
  • Finalização: trata-se da aplicação de produtos para hidratar, clarear, reverter os sinais do tempo, prevenir marcas e linhas de expressão, controlar a oleosidade e/ou os processos inflamatórios decorrentes da acne, entre outras necessidades que devem ser tratadas e que servem de norte para a definição do protocolo diário que será seguido. Proteger também faz parte da finalização: trata-se da aplicação de filtro solar com proteção UVA/UVB e que em geral é a última etapa da finalização nos protocolos da manhã.

A preparação da pele é importantíssima para que ela receba os dermocosméticos finalizadores obtendo a melhor resposta fisiológica de cada um deles.

Uma pele limpa, sem resíduos de poluição e livre do excesso de oleosidade e células mortas absorverá melhor os ativos dos produtos que serão aplicados.

A tonificação da pele promoverá o reequilíbrio do PH da pele, deixando-a saudável e inibindo o desencadeamento de processos irritativos e até mesmo alérgicos.

Saiba mais sobre esses dois importantes passos acessando os links abaixo:

Limpeza da pele https://gloriatoledo.com.br/limpar-a-pele-o-passo-mais-importante-dos-cuidados-diarios-com-o-rosto/

Tonificação da pele https://gloriatoledo.com.br/tonificacao-um-passo-indispensavel-para-saude-e-beleza-da-pele/

Mas é a finalização que de fato tratará as queixas apresentadas, resultado de disfunções estéticas que causam algum tipo de desconforto para quem as possui.

São os dermocosméticos finalizadores que terão em sua composição os ativos necessários para a melhoria da condição da pele.

Então, a primeira coisa que precisa ser definida ao elaborar um protocolo diário de cuidados com a pele é qual ou quais queixas deverão ser tratadas por ele.

Se a queixa principal são rugas, o protocolo falhará se o finalizador for um controlador de oleosidade.

Em seguida, deve-se avaliar o tipo de pele, grau de oleosidade e de hidratação para a escolha assertiva dos produtos usados nas etapas do protocolo tanto da manhã quanto da noite.

Nesse artigo falaremos especificamente sobre as categorias de finalizadores.

Em artigos posteriores essas categorias serão esmiuçadas assim como o serão as disfunções estéticas tratadas por cada uma delas.

Lembre-se que nosso blog é educativo e nossa missão é desenvolver o conhecimento sobre pele em revendedores de cosméticos, para que prestem uma boa consultoria aos seus clientes, e em consumidores, para que saibam escolher os produtos que devem usar.

Dessa forma, nossos artigos seguem uma sequência de raciocínio, um esquema didático de aprendizado, assim como faço em meu canal no Youtube.

HIDRATAÇÃO – NECESSIDADE BÁSICA DE TODOS OS TIPOS DE PELE

Você já sabe, mas não custa reforçar o entendimento: água é vida!

Independente do tipo de pele e da disfunção estética apresentada, criar condições para que a hidratação natural da pele seja mantida é missão número 1 da etapa de finalização.

A boa notícia é que as boas marcas de cosméticos sabem disso e todos eles possuem em sua formulação ativos que reforçam a função barreira da pele, mantendo o manto hidrolipídico saudável a ponto de inibir a perda da água transepidérmica (água que está dentro do corpo).

O que muda é o objetivo de hidratação a ser alcançado.

Dermocosméticos para peles secas deverão ter uma composição mais rica para a finalidade de hidratação do que dermocosméticos para peles acneicas, por exemplo.

Isso porque o excesso de óleo das peles com acne por si só é um reforço extra contra a perda de água do corpo.

Uma vez que o manto hidrolipídico é formado de lipídios (gorduras), água e suor, uma pele com excesso de oleosidade terá sua função barreira contra a desidratação naturalmente mais resistente do que uma pele seca, que em geral possui um baixo nível de oleosidade.

Por isso a importância de uma boa análise do tipo e condição da pele para que o finalizador escolhido não prejudique um problema que já está instalado ou não reverta uma queixa reportada.

CONTROLE – OLEOSIDADE É BOM, MAS EM EXCESSO ATRAPALHA

Como vimos anteriormente, uma pele oleosa tende a ser mais hidratada justamente por possuir uma produção maior de lipídios, que são as gorduras.

Isso é muito bom!

Eu, como esteticista sempre digo que prefiro mil vezes tratar uma pele oleosa do que uma pele seca.

É bem mais fácil equilibrar a atividade das glândulas sebáceas com peelings químicos para esse fim, a base de ácido salicílico por exemplo, do que fazer com que essas mesmas glândulas aumentem a sua produção.

Sem contar todos os outros prejuízos causados pela desidratação crônica da pele que deverão ser tratados também, como flacidez e rugas profundas.

Por outro lado, o excesso de oleosidade também causa muitos desconfortos, como:

  • Brilho excessivo
  • Textura áspera causada pelo acúmulo de sebo na superfície da pele
  • Tonalidade amarelada ou esverdeada, que são as cores comuns ao sebo
  • Proliferação bacteriana em decorrência do acúmulo de sebo nos folículos pilossebáceos, que acabam por servir de alimento para as bactérias que causam a acne

Dessa maneira o finalizador ideal para a pele oleosa terá que equilibrar o controle da produção de sebo com a manutenção da função barreira da pele, mantendo um bom nível de hidratação.

O excesso de ativos adstringentes num finalizador para peles oleosas pode fragilizar o manto hidrolipídico deixando a pele ressecada e a médio prazo causar o chamado “efeito rebote”, que é uma tentativa de a pele reter água através do estímulo da produção das glândulas sebáceas.

Ou seja, a escolha errada do finalizador para esse tipo de pele pode dar um bom resultado inicialmente para logo em seguida agravar o quadro de oleosidade.

CLAREAMENTO – MANCHAS ENVELHECEM A APARÊNCIA DA PELE

Se colocarmos lado a lado duas mulheres de 65 anos, uma com rugas e sem manchas na pele e a outra com o mesmo nível de rugas, porém com manchas escuras espalhadas pelo rosto e perguntarmos para uma pessoa qual dessas duas mulheres é mais velha, 90% de chance de que a resposta aponte para a que tem manchas.

Isso porque as manchas causam um efeito visual desagradável e são relacionadas ao envelhecimento da pele e à falta de proteção solar adequada, o que é entendido como desleixo.

A indústria cosmética possui muitos recursos para clarear manchas, incluindo higienizantes, séruns, hidratantes e até mesmo protetores solares com ativos clareadores em suas composições.

Em se tratando de clarear manchas, todo apoio é bem-vindo.

Existem mais de 15 mecanismos que desencadeiam a formação das manchas e eles são combatidos de formas diferentes por ativos diferentes.

Dessa forma, usar nos passos de um protocolo produtos com ativos clareadores com ação em etapas diferentes da formação da mancha é uma estratégia muito mais inteligente do que ter apenas um produto clareador, como por exemplo o finalizador.

Mas ainda assim, se a disfunção estética a ser tratada são manchas, o finalizador precisa ser massivamente um clareador.

REVERSÃO – AMENIZANDO OS SINAIS DO TEMPO

Finalizadores para reversão de sinais têm a difícil tarefa de combater a flacidez da pele e diminuir a profundidade das rugas já formadas.

Em geral a pele das pessoas entre 35 e 40 anos já precisam usar dermocosméticos com essa finalidade.

O envelhecimento cronológico avança a passos largos a partir desse momento e os ativos anti-idade são indispensáveis para estimular o metabolismo a produzir fibras de sustentação para manter o aspecto da pele firme e linear.

É muito comum as formulações de dermocosméticos anti-idade serem mais ricas em seus ativos, agregando num único produto renovadores celulares, clareadores e firmadores.

As áreas mais afetadas pelo envelhecimento são o contorno facial, a região ao redor dos olhos e o pescoço.

Há dermocosméticos específicos para tratar essas regiões e devem ser associados a outros que são aplicados em toda a face.

É necessário lembrar que nem só o envelhecimento cronológico rouba a firmeza e o viço da pele.

O fotoenvelhecimento é responsável por trazer precocemente esses desconfortos à pele, uma vez que a exposição exagerada ao sol sem a proteção adequada degrada as fibras de sustentação, deixando a pele flácida, com rugas aprofundadas e manchada.

Entenda melhor o processo de envelhecimento da pele acessando o link abaixo:

Envelhecimento da pele: https://gloriatoledo.com.br/por-que-envelhecemos/

Assim, em se tratando de reversão de sinais, a condição da pele é mais importante que a faixa etária da pessoa.

Ela pode ter menos de 30 anos e já necessitar de dermocosméticos rejuvenescedores.

A boa notícia é que o mercado oferece uma grande variedade de opções com formulações e texturas diversas que atendem muito bem tanto casos de envelhecimento cronológico quanto de fotoenvelhecimento.

PREVENÇÃO – ATRASAR O SURGIMENTOS DE MARCAS E RUGAS DE EXPRESSÃO É O MELHOR CAMINHO

A maioria das pessoas acha que os cuidados diários com a pele para prevenção contra o envelhecimento devem começar aos 25 anos de idade.

Bem, do ponto de vista cronológico seria essa idade a partir da qual o envelhecimento começa a ocorrer mais visivelmente, causando aos poucos mudanças no estado geral da pele.

Mas do ponto de vista do significado da palavra “prevenção” os aspectos da saúde e integridade da pele devem ser cuidados desde sempre.

Toda criança deve aprender o quanto antes a lavar o rosto e usar filtro solar assim como aprende a escovar os dentes.

Hábitos saudáveis de higiene e proteção desde a infância garantirão uma pele mais íntegra e resistente na adolescência, época em que a acne surge em pessoas com predisposição genética para o problema.

Peles jovens também têm seu nicho cosmético garantido: são produtos leves, com penetração superficial, apenas para manter a hidratação desse período que é naturalmente muito boa na maioria das pessoas.

Já a partir dos 25 anos os dermocosméticos propriamente preventivos entram em ação.

Novamente saber avaliar o tipo da pele e suas reais necessidades será indispensável para a montagem do protocolo assertivo para manhã e noite.

Os dermocosméticos preventivos possuem uma composição de ativos muito semelhante aos para reversão de sinais.

O que muda é a riqueza das formulações e a concentração dos ativos usados nelas.

Mas o foco também é hidratação, renovação celular e inibição da melanogênese (formação das manchas).

PROTEÇÃO SOLAR – A VERDADEIRA FINALIZAÇÃO DO PROTOCOLO DIURNO

A proteção solar diária e adequada desde a infância garantirá uma pele firma, lisa, viçosa e sem manchas por muito tempo.

Se o finalizador escolhido entre tantas opções como vimos acima, de acordo com a disfunção estética a ser tratada, não tiver proteção UVA/UVB no mínimo 30, deverá ser aplicado após esse produto no protocolo da manhã um protetor solar com essas características.

O assunto “proteção solar” é bastante complexo e será abordado em um artigo exclusivo sobre ele, com grande riqueza de informações.

O importante agora é entender que durante o dia é inaceitável não usar um protetor solar adequado.

Isso comprometeria o bom resultado dos cuidados diários com a pele, forçando a pessoa a encarar uma imagem nada agradável no espelho antes da hora!

O PAPEL DO CONSULTOR DE PELE

O consultor de pele deve estar apto a além de identificar as queixas principais do seu cliente, dominar as informações técnicas dos produtos que representa.

Vender dermocosméticos por catálogo sem uma avaliação minuciosa da condição da pele é como jogar na loteria: pode acertar ou não.

O consultor de pele também precisa saber esclarecer sobre protocolos, preparo da pele e finalização para educar seu cliente em uma rotina diária que resultará numa pele melhor cuidada a longo prazo, minimizando o efeito do tempo sobre ela.

Eu sempre digo que vender produtos para pele requer estudo e dedicação, mas um bom consultor é inestimável para seu cliente que se torna fiel e tem prazer em indica-lo para outras pessoas.

Lembre-se: seja consumidor, seja consultor, suas dúvidas e comentários serão muito bem-vindos!

Tome posse do conhecimento que eu compartilhei aqui hoje com você e prospere!

Comentários

2 respostas

Deixe uma resposta para Glória Toledo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Glória Toledo

Glória Toledo

Esteticista, cosmetóloga e massoterapeuta, atuo há 20 anos no ramo atendendo em consultório particular, em Campinas/SP.

Posts recentes

Glorinha no YouTube